As origens exatas de seu nome ainda são desconhecidas, Lhasa foi provavelmente tirada da capital do Tibete, e Apso significa “cabra do tibete” na linguagem tibetana, provavelmente em alusão à longa e dura pelagem.

Durante 2 mil anos este cão foi criado apenas no Tibete por monges e nobres. Ele era usado como um cão de guarda em templos e monastérios, era considerado um cão sagrado, pois acreditava-se que quando o dono morria, seu espírito entrava no corpo do Lhasa Apso.

A raça então se espalhou entre outras partes do mundo, principalmente por causa do Dalai Lama, que os presenteava aos diplomatas estrangeiros visitantes. Em meados da década de 1920, a raça teria sido vista pela primeira vez na Grã-Bretanha, e foi introduzida nos Estados Unidos na década seguinte.

Este cão forte, inteligente, afetuoso, e meigo com as crianças é um excelente companheiro. Desconfiança com estranhos, uma audiçaõ muito sensível e um latido agudo o tornam um ótimo cão de alerta. Adapta-se bem à vida em apartamento, mas adora andar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.